sexta-feira, outubro 11, 2013

BWV 996

poemas de amor em meu arquipélago
tremo diante do látego
que seus olhos vociferam

sim seus olhos de fera
ferram meu destino e tropeço

mas a chibata calada na alma acalma o cérebro
ébrio de amor e desespero

carrego à cerviz o meu inferno

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home